Atendimento 24h | (31) 3213-4001

COROA DE FLORES

Lidar com a morte de uma pessoa da família é um dos desafios mais significativos que enfrentaremos em nossas vidas. Além da tristeza que sentimos por perdê-los, há uma dor muito grande em separar os pertences dessa pessoa

Aqui estão algumas dicas que podem tornar a tarefa de lidar com os pertences de um familiar um pouco mais fácil.

Acompanhe.

Planeje o processo 

Escolha um dia em que você não tenha pressa e deixe algum tempo para descansar depois, pois suas emoções podem pesar sobre você.

Decida quanto espaço você tem para os pertences de seu ente querido, ou se você precisa considerar sua ‘realocação’ como compartilhá-los com a família, vendê-los ou doar itens para instituições de caridade

Entenda que você não pode manter tudo, alguns objetos simplesmente não valem a pena guardar. 

Tenha ideia aproximada da ordem em que você deseja passar pelas coisas – cômodo por cômodo costuma ser uma boa maneira de iniciar o processo, pois começar sem um plano pode ser opressor e levar a mais estresse e tristeza.

Sem pressa

Descubra se você está trabalhando dentro de um prazo ou se pode gastar seu tempo mexendo nos pertences. É importante não se estressar muito, mas também não se esquivar da tarefa. 

Algumas tarefas exigem atenção imediata e, muitas vezes, grandes decisões precisam ser tomadas por razões práticas, incluindo lidar com dívidas, contas bancárias e outras questões financeiras. 

Cada pessoa lida com o luto de maneira diferente. A quem prefere que a tarefa seja realizada rapidamente para “seguir em frente”, outras vão querer tomar seu tempo lidando com as coisas a fim de manter alguma aparência de normalidade ao longo do processo. 

Controlar o seu próprio ritmo e fazer intervalos entre as sessões de organização também é crucial. Você provavelmente encontrará lembretes contínuos da pessoa que perdeu.

Guarde os documentos e analise-os

Os documentos são muito importantes e devem ser analisados com calma. Por isso, o primeiro passo é guardá-los. Isto é essencial pois, em algum momento pode ser necessário apresentar documentações e comprovações, seja para divisão de bens ou até mesmo comprovação de informações.

Portanto, procure um local seguro, e do qual você irá lembrar, para guardar tudo o que for importante.

Apenas após organizar tudo que pertence ao ente falecido, é recomendado procurar um advogado, para que ele te oriente quanto ao que fazer com todas as documentações encontradas.

Peça ajuda

Ao lidar com os pertences de um familiar falecido, também é importante levar em consideração se você prefere fazer isso sozinho ou com apoio de outras pessoas

Amigos próximos podem ser úteis, pois estão um tanto distantes da situação, portanto, podem ajudá-lo a tomar decisões e a enfrentar a tarefa. 

Se abrir mão de objetos sentimentais for muito difícil, você também pode pedir ajuda a um familiar. Eles podem não apenas ajudar a aliviar parte da responsabilidade, como também mantê-lo motivado e dar-lhe o apoio emocional tão necessário.

Tarefas altamente emocionais podem ser delegadas a outras pessoas, incluindo limpar aqueles ‘lembretes diários’ que são especialmente angustiantes para você. E até mesmo, as redes sociais

Já falamos aqui como proceder com as mídias sociais de quem já faleceu. Clique aqui e confira! 

Antes de se desfazer dos objetos após a morte de um ente querido, você também deve estender a mão para aqueles que não podem estar presentes. Peça-lhes com antecedência que sejam bem específicos sobre o que gostariam de manter.

Esse problema pode muitas vezes ser uma fonte de conflito nas famílias, já que um objeto que tem pouco significado para um membro pode ter um valor sentimental significativo para outro. Faça o possível para acomodá-los, mas dentro do razoável, também é importante cuidar de suas próprias necessidades durante esse processo.

Classifique metodicamente

A separação metódica pode ajudar muito no processo. Lembre-se de três categorias principais: itens para guardar, realocar e jogar fora, para assim, designar caixas para itens de forma que possam ser lacrados e armazenados. 

Em termos de objetos para ‘manter’, tente ser realista sobre o que você escolhe. Você tem espaço para guardar? Tente selecionar o que tenha significado para você. Se não tiver certeza, considere armazenar os itens que você não consegue decidir em uma pilha de ‘não tenho certeza‘ para que você possa retornar mais tarde, quando tiver tempo.

Os itens de ‘realocação’ podem ser vendidos online ou doados para instituições de caridade.

Por último, as caixas do ‘lixo‘. O que você não for ficar, jogue fora. Considere também reciclar itens quando puder.

Evite arrependimentos

Embora seja uma tarefa árdua, também pode ser curativo. Cercar-se de pessoas que o amam e apoiam é o ideal, mas também é importante tentar processar suas próprias emoções o máximo que puder. 

Tente não duvidar de suas decisões, evite se sentir arrependido e lembre-se de que abrir mão de pertences não é desrespeitoso. Os itens materiais não definem relacionamentos, as memórias sim.

Aqui na Funerária Santa Casa BH, entendemos a dificuldade de lidar com a perda de quem amamos. Mas, valorizamos acima de tudo, viver a vida intensamente

Quem vive bem, tem muitas lembranças para provocar sorrisos e gratidão. O que a gente leva de tudo isso são as nossas memórias. 

Por isso, o plano é levar a vida bem vivida, pode ser que você ainda não tenha pensado em um Plano de Auxílio Funerário. Saiba que essa importante escolha pode trazer cuidado e tranquilidade para quem está com você.

Cuide das suas memórias. Essa é a melhor lição para aprender e deixar como legado.

Quer conhecer nossos planos? Converse com a nossa equipe, ligue: 3274-0000.