Atendimento 24h | (31) 3213-4001

COROA DE FLORES

Perder uma pessoa amada é doloroso, tanto para os familiares quanto para os amigos. Ver a pessoa que amamos no caixão é uma experiência difícil de despedida e luto. 

Nesse sentido, a Tanatopraxia se apresenta como uma forma honrosa de retribuir o carinho e de prestar uma última homenagem à pessoa que faleceu.

Neste post explicaremos a você um pouco mais sobre como é feita a Tanatopraxia, em quais casos ela é indicada e outras informações importantes. Continue a leitura e confira!

O que é Tanatopraxia

A Tanatopraxia faz referência a Thanatos, o deus da morte na mitologia grega, e foi desenvolvida em países da Europa, como França, Itália e Estados Unidos, após a Segunda Guerra Mundial. A prática chegou ao Brasil nos anos 1980, sendo Belo Horizonte uma das cidades pioneiras

A Tanatopraxia é uma técnica usada para garantir que o corpo permaneça mais tempo no velório, sem entrar em decomposição. Inclusive, se ele precisar de reconstrução facial ou outro tipo de preservação, o serviço consegue oferecer.

Indo além da definição técnica, a Tanatopraxia trata-se de uma homenagem à pessoa, preparada com todo o carinho para vê-la melhor. Com um semblante mais saudável, a impressão passada é de bem-estar e tranquilidade.

Esse serviço  também está à disposição para associados e clientes da Funerária Santa Casa BH. Para obter mais informações sobre Tanatopraxia, clique aqui e entre em contato.

Muitas pessoas ainda confundem a Tanatopraxia com a Necropsia. A seguir, você verá que elas são muito diferentes. Confira:

Tanatopraxia não é Necropsia

Como vimos no tópico anterior, a Tanatopraxia é uma técnica de conservação de cadáveres, embalsamento e restauração facial que propicia aos falecidos translado aéreo, terrestre e o mais importante: uma despedida sem nenhum constrangimento ao familiar. 

A Necropsia, por sua vez, é um exame realizado no Instituto Médico Legal (IML), em cadáveres com morte suspeita, acidental ou violenta. 

Como é feita a Tanatopraxia?

Após a autorização da família, o corpo é colocado na mesa de procedimento e passa por uma avaliação do tanatopraxista, Feito isso,  produtos químicos são aplicados no falecido por meio de injeção  arterial visando retardar o processo de decomposição proporcionando tempo de velório e melhoria no aspecto visual do falecido. Sem falar que a tanatopraxia contribui com a profilaxia reduzindo o risco de contaminação dependendo da causa morte e também com o meio ambiente através da utilização de químicos específicos para tal procedimento.

O primeiro passo é a preparação do material que será utilizado. Em seguida, o corpo é colocado em uma mesa e passa pela avaliação da massa corpórea. Feito isso, um produto químico é inserido no falecido por meio de injeção.

Durante a injeção dos produtos, o corpo deverá ser massageado para que facilite toda a drenagem dos líquidos. Depois desse processo, deve-se esperar cerca de 30 minutos para a ação das substâncias.

Na sequência, é feita a aspiração de todos os líquidos corporais e é adicionado o algodão para tamponar o nariz e a boca. Isso, atualmente, é feito de maneira mais cuidadosa, para que nada fique visível durante o velório.

Para finalizar, o corpo é lavado e vestido. Depois de passar por todos esses cuidados, são evitadas as reações indesejáveis do corpo.

A maquiagem funerária

O último passo é a necromaquiagem. Ela é bem diferente da maquiagem tradicional e tem a finalidade de trazer um aspecto mais agradável à pessoa que faleceu, para a sua apresentação à família. As técnicas e produtos usados são específicos e servem, principalmente, para neutralizar o tom da pele e esconder hematomas.

O objetivo, nesse caso, é deixar a pessoa com a aparência mais próxima da que tinha em vida. Para isso, o profissional responsável pode conversar com a família para saber mais sobre o estilo pessoal e até solicitar alguma foto da pessoa que faleceu.

Todo o procedimento é feito de maneira eficaz e cuidadosa, com o objetivo de deixar o semblante do falecido com um aspecto sereno, como se estivesse dormindo. Com isso, é possível prestar homenagem com dignidade ao falecido, visto que essa técnica evita constrangimentos durante o velório. 

Qual é a formação do tanatopraxista?

O processo de tanatopraxia só pode ser realizado em locais apropriados e por pessoas especializadas, nesse caso, o responsável por esse procedimento é o tanatopraxista.

Pensando na formação de profissionais qualificados para atuarem nesta função, a Faculdade Santa Casa BH, em parceria com a Funerária Santa Casa BH, oferece um curso de capacitação profissional em Tanatopraxia e Necromaquiagem. Se você tem interesse na área ou conhece alguém, clique aqui e veja como funciona o curso